Pular para o conteúdo principal

Nova estratégia para roubar você

Corre no facebook, de vez em quando, uma mensagem dramática falando sobre "novos" golpes criminosos.
A bola da vez foi um sobre a placa do carro que o meliante retira (sem ativar o alarme) e depois se oferece para devolver. Muitas vezes com os carros em movimento, numa rua conveniente para ele.
Quem é que não pararia o próprio carro para recuperar a placa que apareceu na mão de outro motorista (sim, ele possui um veículo), muito bem apessoado (não tem cara de vagabundo desempregado)?

Triste, muito triste.

É preciso repassar, daria até dor de consciência não alertar nossos amigos do perigo.

MAS não me contenho em inserir meus comentários (nem sempre agradáveis).

esta foi a minha bola da vez =


Mais uma vez vou adicionar uma perguntinha básica ao aviso HORROROSO, mas de "grande" utilidade pública, infelizmente.

Além de seguir o conselho abaixo para sua auto preservação, para remediar a triste situação em que vivemos atualmente, o que você pretende fazer para PREVENIR a situação em si?

Será que seria uma boa ideia morrer logo, e não precisar passar por isso? Ou quem sabe trancafiar a si mesmo num belo castelo dourado (sua casa, quem sabe)?

Talvez possamos fazer algo MAIOR em relação aos "economicamente prejudicados" como disse a novela da globo. Algo muito MAIOR, mas pequeno o bastante para ser feito já.

O que?
Quem sabe doar algumas roupas que não usa mais, para alguém que não tem uma roupa decente nem para procurar um emprego.
Dedicar 1 hora por mês para conversar com o filho do vizinho, possível futuro delinquente, face a ausência de bons conselhos.
Ou talvez até, apenas estar mais horas com seus próprios filhos, parentes e amigos. Para transmitir-lhes suas idéias e valores. Dar exemplo. Informar.

O que cada um de nós tem feito DIARIAMENTE, com constância e diligência, para CRIAR um espaço melhor de vida, para todos?

Postagens mais visitadas deste blog

Quando você muda o modo de observar as coisas, as coisas mudam

Frase


O amor é a solução. 
 "Existem três tipos de pessoas: as que deixam acontecer, as que fazem acontecer e as que perguntam o que aconteceu." (John Richardson Jr.). 
"Não devemos ter medo dos confrontos. Até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas." (Charles Chaplin).


Sou uma metamorfose ambulante...

Condicionamentos e Padrões de comportamento

Fantástico, recomendadíssimo!!!
Assistindo um hangout hoje, do Recalculando a Rota aprendi mais que a soma de muitos livros, filmes ou experiências de vida que já tive oportunidade de ter contato até agora. Tudo bem resumidinho, direto ao ponto, recheado de "pulos do gato".


Considere substituir a palavra Universo por outra que se sinta mais confortável. Deus, Senhor do Mundo, Anjos... seja lá qual for a Fonte Maior que entenda como poderosa ou capaz o suficiente de fazer mais por você que você mesmo.

Segue um resuminho do que (penso que) aprendi:
Vamos perguntar porque agimos da maneira que agimos?
Existem diversos condicionamentos, ou padrões de comportamento que adquirirmos durante nossa vida em função dos acontecimentos a nossa volta.
Por exemplo:  Estávamos aprendendo algo (dirigir, nadar, cavalgar...) e fomos expostos a uma reação grosseira e exagerada de quem estava próximo (por algum erro cometido por nós) e então adquirimos um padrão de querer ser perfeitos para nao p…

CROSSROADS: Dores de Parto de Uma Nova Visão Mundial - Completo HD

2013

o uso de antidepressivos disparou 400% nos últimos anos

perguntas poderosas

what's the best things that happened to you in the last month

Qual foi a melhor coisa que aconteceu com você no último mês?

what really brings you joy

O que realmente te traz prazer?

what gives you meaning in life

O que te dá significado na vida?

aos 29:44 do vídeo
Numa resposta rápida diríamos que para ser mais feliz precisamos apenas de mais dinheiro...
Mas se respondermos sinceramente sobre quais foram nossas melhores experiências no mês passado diremos que estão relacionadas com outras pessoas, não com quaisquer posses.

Isso transparece que intuitivamente sabemos o que realmente nos traz alegria e felicidade, mas às vezes nos permitimos iludir pelo ambiente ou pela mídia.