Pular para o conteúdo principal

Inversão de valores

Acontece nas melhores famílias, não adianta espernear.
O que podemos fazer é rever os conceitos, analisar por outros ângulos de referência E mudar, claro.
Ficar só olhando de braços cruzados não vai resolver NADA.

Por exemplo:

O homem do campo, que alimenta o mundo, deveria receber menos que um deputado? Um médico? Um professor? Um carteiro? Um lixeiro?

Não acho. Por mais que alguém tenha se empenhado para aprender um ofício, na prática e na teoria, seu valor não deveria ser diminuído nem aumentado. Estamos mergulhados nesta ideia de que quem estudou mais (se esforçou mais) teoricamente vale mais, gastou mais para chegar onde está. Esta é uma clássica inversão de valores associada com a crença de que só tem mérito quem se esforça. Quem sofre, se empenhando para, consegue. Com isso passamos anos e anos decorando todo tipo de bobagens que de nada servem do que apenas para tirar uma boa nota na prova. Depois, sair orgulhoso mostrando um diploma teórico, suado, caro e com quase nenhuma utilidade prática eficaz. A não ser a de conquistar um ótimo cargo e salário, para depois cometer todo tipo de experiências com o dinheiro do patrão.
Claro que depois de tanto sacrifício e dinheiro gasto, este aluno/profissional sentir-se-a no direito de exigir bons salários. No mínimo compatíveis com TUDO que "gastou" física e emocionalmente para chegar onde está.

Aliás está associada com outra inversão que oferece os piores salários para os professores, formadores dos maiores salários. Definitivamente não faz sentido.

Outro grande engodo, no meu ponto de vista, é passar os melhores anos de nossa infância aprendendo tantas coisas inúteis. Não faz o menor sentido empurrar goela abaixo de nossos jovens o que eles não querem aprender. Não poderíamos ter chegado ao absurdo de permitirmos nossos filhos trancafiados em salas de aula, sujeitos a toda espécie de tortura psicológica porque: não obedecem, não ficam quietos, não entendem, não fazem lição, não tiram boas notas etc.

Onde foi que nos convencemos que esta escravidão seria benéfica? Normatizar é algo necessário na indústria, não na humanidade. Este processo é desumano.

Falei.

Postagens mais visitadas deste blog

Condicionamentos e Padrões de comportamento

Fantástico, recomendadíssimo!!!
Assistindo um hangout hoje, do Recalculando a Rota aprendi mais que a soma de muitos livros, filmes ou experiências de vida que já tive oportunidade de ter contato até agora. Tudo bem resumidinho, direto ao ponto, recheado de "pulos do gato".


Considere substituir a palavra Universo por outra que se sinta mais confortável. Deus, Senhor do Mundo, Anjos... seja lá qual for a Fonte Maior que entenda como poderosa ou capaz o suficiente de fazer mais por você que você mesmo.

Segue um resuminho do que (penso que) aprendi:
Vamos perguntar porque agimos da maneira que agimos?
Existem diversos condicionamentos, ou padrões de comportamento que adquirirmos durante nossa vida em função dos acontecimentos a nossa volta.
Por exemplo:  Estávamos aprendendo algo (dirigir, nadar, cavalgar...) e fomos expostos a uma reação grosseira e exagerada de quem estava próximo (por algum erro cometido por nós) e então adquirimos um padrão de querer ser perfeitos para nao p…

Quando você muda o modo de observar as coisas, as coisas mudam

Frase


O amor é a solução. 
 "Existem três tipos de pessoas: as que deixam acontecer, as que fazem acontecer e as que perguntam o que aconteceu." (John Richardson Jr.). 
"Não devemos ter medo dos confrontos. Até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas." (Charles Chaplin).


Sou uma metamorfose ambulante...

Enquanto nos distraímos com o que ainda não é, deixamos de aproveitar o que já é

Hoje assisti o vídeo da Jout jout lendo e interpretando o livro “A parte que falta”. Ela se emocionou e eu junto. Logo na sequência Ouvi um texto narrado por uma voz metálica, computadorizada, que tirava o brilho de seu conteúdo, então resolvi escrever aqui para todos nós.


Ambos me despertaram para o nada. Aquele que nos preenche de tamanha plenitude que fica quase impossível explicar em palavras. Então sentei na espreguiçadeira, sob o sol e nada. Levantei com uma energia que não sei de onde vinha. Realizei em uma hora o que facilmente poderia ter me consumido semanas. Mais uma vez sentei. Agora na varanda recém-nascida, diante da exuberância da floresta e meus olhos começaram a enxergar o que antes parecia nem estar ali. Nem os pernilongos me acharam. Foi muito lindo.
A prosperidade é um estado de plenitude. De gratidão pelo que se é, percebe, sente, interage e compartilha. Não está diretamente relacionado com dinheiro, mas sim com abundância de bem estar. Bem estar só ou acompanhado.
É clar…