Pular para o conteúdo principal

Afinal, é ou não é uma escolha nossa?


A fórmula é bem simples...




Mas por algum motivo nos comportamos de uma maneira estúpida, incapaz de praticá-la.





Se, desde o primeiro minuto de meu dia eu fizer a seguinte pergunta:




Isto deu certo (foi bom)? Ou Isto deu errado (foi ruim)?

Quais respostas eu obteria?




A maior parte do tempo a resposta não será nem bom, nem ruim.

Será “isso é maravilhoso”!

Experimente:




1. Acordei, estou viva;

2. Estou enxergando;

3. Respiro com facilidade;

4. Sinto-me forte e capaz de levantar;

5. Levantei de minha cama quente e aconchegante;

6. Fui até o banheiro, eu tenho um;

7. Tomei um banho quente e revigorante. Aqui tem água, energia e um chuveiro que funciona bem;

8. Na cozinha, fui capaz de preparar um café da manhã. Eu tenho uma cozinha, fogão, panelas, gás e o alimento para isso;

9. Prestei atenção enquanto mastigava, agradeci pelo pão de cada dia e fui capaz de saboreá-lo, sentir seu aroma;

10. Voltei ao banheiro para escovar meus dentes. Sim, eu tenho uma pia dentro de casa, escova e pasta;

11. Coloquei uma roupa limpa e cheirosa, em perfeito estado de conservação, para ser percebida pela sociedade da maneira que ela espera me ver...







Bem, nós estamos apenas nos primeiros minutos do dia e eu já encontrei 11 maravilhosos motivos para me sentir bem, feliz, pronta para seguir adiante com fé e coragem.




Qual a dificuldade aqui?




Eu não estou negando que exista uma lista de igual tamanho ou até maior, com opções que possam ser encaixadas em apenas bom ou até em ruim. Quem sabe tem uma goteira bem em cima da sua cama, ou o cachorro do vizinho uivou a noite toda. Pode ser que seu colchão esteja provocando dores em suas costas ou a grana não durou o mês todo e seu café da manhã será o mais típico possível: apenas café. Sua toalha não secou, a pasta acabou, não se lembra onde deixou sua escova de dentes, seu pé ainda está muito inchado ou seu rosto ganhou mais uma espinha, ou ruga, ou verruga.

Apenas estou dizendo que podemos todos escolher onde vamos concentrar nossa atenção e energia.




Possivelmente a maioria de nós não recebeu a informação de que o universo é composto apenas por energia. Que ele atrai os semelhantes e que apenas poderemos colher o que plantamos.

Quanto mais pensamos em algo, mais energia damos e mais ele cresce e torna-se forte e vigoroso. Então, em que devemos pensar se estamos desempregados e queremos um novo e bom emprego? Se estamos doentes e queremos saúde e bem estar? Se estamos sozinhos e querendo um bom par?




Nós não recebemos esta informação tão importante? Ou será que ela ficou meio perdida no mar de tantas outras que, se não pudermos classificar como prejudiciais, poderemos com certeza classificar como pouco úteis a maior parte do tempo de nossas vidas?




Será este o grande motivo de nos comportarmos de maneira tão estupida ao ponto de passarmos o dia focados no que não queremos para nós?




Se isso for verdade, quando é que vamos parar de ficar tentando aprender as tantas bobagens que teimam em nos ensinar e apenas parar para observar nossa própria vida e pensar em como fazê-la cada dia melhor? Afinal, é ou não é uma escolha nossa?





Abraços,


Marcia Sisi

http://issuu.com/marciacristinasisi










Leia mais sobre este garoto aqui: http://www.hierophant.com.br/arcano/posts/view/Science/3729#.VWY8KtGfFeo.facebook



Tem alguém mudando as escolas? Veja aqui: http://nossavida.org


Postagens mais visitadas deste blog

Condicionamentos e Padrões de comportamento

Fantástico, recomendadíssimo!!!
Assistindo um hangout hoje, do Recalculando a Rota aprendi mais que a soma de muitos livros, filmes ou experiências de vida que já tive oportunidade de ter contato até agora. Tudo bem resumidinho, direto ao ponto, recheado de "pulos do gato".


Considere substituir a palavra Universo por outra que se sinta mais confortável. Deus, Senhor do Mundo, Anjos... seja lá qual for a Fonte Maior que entenda como poderosa ou capaz o suficiente de fazer mais por você que você mesmo.

Segue um resuminho do que (penso que) aprendi:
Vamos perguntar porque agimos da maneira que agimos?
Existem diversos condicionamentos, ou padrões de comportamento que adquirirmos durante nossa vida em função dos acontecimentos a nossa volta.
Por exemplo:  Estávamos aprendendo algo (dirigir, nadar, cavalgar...) e fomos expostos a uma reação grosseira e exagerada de quem estava próximo (por algum erro cometido por nós) e então adquirimos um padrão de querer ser perfeitos para nao p…

Quando você muda o modo de observar as coisas, as coisas mudam

Frase


O amor é a solução. 
 "Existem três tipos de pessoas: as que deixam acontecer, as que fazem acontecer e as que perguntam o que aconteceu." (John Richardson Jr.). 
"Não devemos ter medo dos confrontos. Até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas." (Charles Chaplin).


Sou uma metamorfose ambulante...

Enquanto nos distraímos com o que ainda não é, deixamos de aproveitar o que já é

Hoje assisti o vídeo da Jout jout lendo e interpretando o livro “A parte que falta”. Ela se emocionou e eu junto. Logo na sequência Ouvi um texto narrado por uma voz metálica, computadorizada, que tirava o brilho de seu conteúdo, então resolvi escrever aqui para todos nós.


Ambos me despertaram para o nada. Aquele que nos preenche de tamanha plenitude que fica quase impossível explicar em palavras. Então sentei na espreguiçadeira, sob o sol e nada. Levantei com uma energia que não sei de onde vinha. Realizei em uma hora o que facilmente poderia ter me consumido semanas. Mais uma vez sentei. Agora na varanda recém-nascida, diante da exuberância da floresta e meus olhos começaram a enxergar o que antes parecia nem estar ali. Nem os pernilongos me acharam. Foi muito lindo.
A prosperidade é um estado de plenitude. De gratidão pelo que se é, percebe, sente, interage e compartilha. Não está diretamente relacionado com dinheiro, mas sim com abundância de bem estar. Bem estar só ou acompanhado.
É clar…