Pular para o conteúdo principal

Ao alcance das mãos... será mesmo?



Hoje, assistindo um documentário sobre a indústria química The Human Experiment, seus produtos a venda no mercado sem absolutamente nenhuma comprovação de não ser nocivo a saúde, os grupos que lutam em busca de leis que protejam os humanos e suas grandes e sucessivas derrotas... pensei:


Quantos entre nós já possuem o privilégio de não passar a maior parte do tempo "distraído" apenas com os problemas rotineiros (estudar, trabalhar, comer, pagar contas...) ?

Nas palavras de Tiago Berto: 


Eu diria que poucos. Até mesmo o grupo que já consegue pagar suas contas em dia e ainda fazer 3 refeições diariamente provavelmente está preocupado em guardar alguns tostões para comprar um carro, casa ou rebolando para manter o que já possui funcionando.

Não temos tempo sequer de acompanhar os políticos que nós mesmos elegemos para "organizar" nossa vida em sociedade, que dirá termos tempo para "coisas" além de nossas próprias batalhas diárias.

Confiantes de que a mídia está nos oferecendo alimentos "passíveis de consumo humano", por menos favoráveis a saúde que sejam, compramos, pagamos e nos assassinamos devagarinho todos os dias.

Desafio quem lê este texto a me dizer nos comentários: "faço mais que ler e entender os ingredientes de cada alimento que levo para casa, eu faço isso com TODOS os produtos que compro (roupas, sapatos, produtos de higiene, limpeza etc.).

Nas escolas, as crianças são "domesticadas" e entupidas de velhos conceitos. Nas religiões, são "doutrinadas" para temer e obedecer a um criador repleto de regras para o bem comum ou literalmente pagar para absolver-se de nem sempre seguir as regras. Nas empresas, depois do "salve-se quem puder" competitivo tropeçamos novamente na necessidade absoluta de um exército dócil, obediente e produtivo para cada parte da "maquina" funcionar conforme o esperado.

Onde fica a porta de saída?

Sem pânico e organizadamente.

Eu diria que existe MUITO a ser feito, ao alcance das mãos de cada um de nós. Desde olhar melhor os ingredientes antes de levar para casa, ficar atendo as notícias da internet (que não aparecem na TV), escolher melhor a alimentação (o menos processada, melhor), reciclar o próprio lixo ou no mínimo entregar separado nas lixeiras... Não faltam iniciativas. Inspire-se aqui: Vivendo ECO.

Mas digo que, antes de conseguirmos ver isso, não conseguiremos alcançar com mão nenhuma.


Enquanto nos permitirmos usar a internet apenas para "distração" no Youtube, WhatsApp ou Facebook em vez de nos informarmos com conteúdos de qualidade e isenção (política ou de quaisquer outros interesses) que também estão presentes nestes mesmos 3 canais e em tantos outros, pouco teremos chance de mudar.

Apenas buscando conteúdos que nos enriquecem, como seres humanos vivendo em sociedade, abriremos algumas janelas de possibilidades. Não como zumbis seguindo ordens pré estabelecidas e largamente propagadas pelas mídias e demais instituições de conservação do atual status.

Peça ajuda se AINDA não sabe onde encontrar informação segura e de qualidade na internet.

Muito está ao alcance de nossas mãos, só precisamos querer ver esta necessidade primeiro e depois buscar alternativas.

Se elas ainda não existem, bora inventá-las.




(The Human Experiment - No Netflix tem legendado pt-br)


Postagens mais visitadas deste blog

Condicionamentos e Padrões de comportamento

Fantástico, recomendadíssimo!!!
Assistindo um hangout hoje, do Recalculando a Rota aprendi mais que a soma de muitos livros, filmes ou experiências de vida que já tive oportunidade de ter contato até agora. Tudo bem resumidinho, direto ao ponto, recheado de "pulos do gato".


Considere substituir a palavra Universo por outra que se sinta mais confortável. Deus, Senhor do Mundo, Anjos... seja lá qual for a Fonte Maior que entenda como poderosa ou capaz o suficiente de fazer mais por você que você mesmo.

Segue um resuminho do que (penso que) aprendi:
Vamos perguntar porque agimos da maneira que agimos?
Existem diversos condicionamentos, ou padrões de comportamento que adquirirmos durante nossa vida em função dos acontecimentos a nossa volta.
Por exemplo:  Estávamos aprendendo algo (dirigir, nadar, cavalgar...) e fomos expostos a uma reação grosseira e exagerada de quem estava próximo (por algum erro cometido por nós) e então adquirimos um padrão de querer ser perfeitos para nao p…

Quando você muda o modo de observar as coisas, as coisas mudam

Frase


O amor é a solução. 
 "Existem três tipos de pessoas: as que deixam acontecer, as que fazem acontecer e as que perguntam o que aconteceu." (John Richardson Jr.). 
"Não devemos ter medo dos confrontos. Até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas." (Charles Chaplin).


Sou uma metamorfose ambulante...

Você está "achado" ou perdido?

Faz diferença?
Quando oferecemos uma chance a nós mesmos e nos mantemos mais vezes em auto observação, enxergamos. Enxergamos as oscilações comuns de nossa energia. Não importa muito a frequência e regularidade. Importa perceber acontecendo para ganhar a possibilidade de escolha.

Repare. Em alguns momentos nos sentimos fracos, sem boas ideias, com sono ou chegamos até a adoecer. Noutros estamos com o gás todo, com saúde e energia de querer salvar o mundo ou resolver todos os problemas que surgem a nossa frente.

Não é apenas uma sensação, é uma capacidade verdadeira. Genuína. Uma competência, nem sempre disponível. Portanto, mais que aproveitar bem quando ela se manifesta, pode ser interessante prestarmos atenção no que a produziu. O que motivou ela a se manifestar.

Pode ser uma alimentação mais saudável, um projeto novo ou antigo finalmente possível de ser realizado. Um novo amor, a nova estação...
A recíproca é verdadeira. O que nos sugou a energia?

Você está "achado" ou p…